Domingo XXI do Tempo Comum 25-08-2013

25-08-2013 21:57

Senhor,

Tu és a porta para os campos da vida!

Porta estreita, graças a um elevado preço,

mas aberta, como o coração sob o golpe da lança,

como os pés abertos pelos cravos;

como as mãos abertas no lenho.

Tu és aporta estreita

que me faz pobre, simples e criança.

Tu és a porta bela

que me introduz na festa.

Tu és a porta aberta

que eu atravessarei

agarrando-me com força à Tua mão.

Tu és a porta espaçosa como a misericórdia.

Rogo, faz-me como Tu és,

pequena porta mas sempre aberta,

onde a vida entre e a vida saia,

limiar que Tu possas abrir sempre

para entrar dentro de nós

com o teu passo de luz,

ó eterno Sol.

Ámen.