Domingo XXVII do Tempo Comum 6-10-2013

07-10-2013 11:52

Às vezes, Senhor, quando duvido,

quando não sinto nada

e me encontro céptico,

ainda sei parar

e colher um grão de mostarda

na palma da minha mão,

e olhá-lo e remirá-lo,

lembrando-me das tuas palavras.

E, às vezes, quando tudo corre bem,

quando a vida me sorri,

quando não tenho problemas

para acreditar em Ti,

nem para acreditar nos homens e mulheres,

nem para acreditar em mim...,

também me atrevo a colher um grão de mostarda

na palma da minha mão,

e olho-o e volto a olhá-lo

Lembrando-me das tuas palavras:

"Se tivésseis fé como um grão de mostarda..."

                                    Ulibarri Fl.