Domingo XXXI Tempo Comum 03-11-2013

04-11-2013 12:38

És um Deus de vida e esperança. Não é inofensivo aproximar-se de Ti.

Não é uma cortesia inocente deixar-Te entrar, abrir-Te a porta,

Mostrar-Te a casa e dar-Te um lugar na sala.

Hóspede inquieto e perigoso, terno e gozador, inteligente e eficaz!

Zaqueu passou um cheque em branco.

Sei quem és. És capaz de dar a volta à cabeça, ao coração

e à vida, a todas as vidas de todas as pessoas.

Capaz de reformar todos os planos e desviar todos os caminhos.

De abrir novos caminhos. De oferecer horizontes inéditos.

Sei que és capaz de olhar em quem está no sicómoro;

de Te fazeres convidado para comer por surpresa;

de Te hospedares em casa de um pecador;

de repetir, hoje, a história.

Olha-me como Tu sabes olhar

e faz-Te convidado a comer em minha casa.