II Domingo do Advento (9/12/2012)

17-12-2012 18:32

Senhor, eis-nos à espera.

 

No fundo das nossas correrias,

no coração destes dias agitados,

que nos dividem literalmente a meio,

entre mil pequenos pensamentos,

há um silencio que soletra o Teu nome.

 

No fundo de nós sabemos que só um Deus nos pode salvar.

Pode até parecer, no meio de tanto ruído, que Te dispensamos.

 

Pode até acontecer que não tenhamos a força

dos verdadeiros gestos de Natal.

 

Mas eis-nos à espera.

Acredita que, por vezes, enquanto trocamos cartões, augúrios, presentes,

há um momento em que as nossas mãos ficam vazias,

fixas no ar como se rezassem.

 

É quando Te pedimos que faças brilhar em nós

 a estrela luminosa do Teu Natal.

 

(J. Tolentino Mendonça)