XXX Domingo Comum - 28/10/2012

28-10-2012 22:56

À beira do caminho!

Aqui estou, Senhor,
como o cego à beira do caminho
- cansado, suado, empoeirado -;
mendigo por necessidade e ofício.

Mas ao sentir os teus passos,
ao ouvir a tua voz inconfundível,
todo o meu ser estremece
como se um manancial brotasse
dentro de mim.

Ah, que pergunta a tua!

Que deseja um cego se não ver?

Que eu veja, Senhor!

Que veja, Senhor, os teus caminhos.

Que veja, Senhor, os caminhos da vida.

Que veja, Senhor, acima de tudo,

o teu rosto, os teus olhos,

o teu coração.

                               Ulibarri, Fl.